Menu

Seminário Teológico
Betel Brasileiro

Maneja bem a palavra da verdade - 2 Tm 2:15

Vocação Ministerial (Késia Adriany)

19 MAR 2018
19 de Março de 2018

Aquele que almeja o episcopado, excelente obra almeja! (I Tm. 3.1)


Numa conversa informal, um homem católico fez a seguinte colocação a uma cristã evangélica: “hoje em dia, todo mundo quer ser pastor, abrir igreja de crente, um horror! É uma classe que enriquece do dia pra noite, vive uma vida boa, troca de carro direto e, sem a mínima discrição ainda ficam pedindo dinheiro ao povo em nome de Deus.”

Este comentário não é sem fundamentos. No contexto evangélico atual, há uma proliferação de denominações e líderes com suas mais variadas nomenclaturas e titulação; enfrentamos sim, uma crise de integridade e espiritualidade genuína perceptíveis. No entanto, este quadro, apesar de verdadeiro, não anula a verdade de que Deus vocaciona preciosos servos seus para o ministério sagrado.

Quando Paulo escreveu a Timóteo, não estava, necessariamente, elogiando o desejo de alguém em correr atras do episcopado, mas ressalta a nobreza da causa: “excelente obra”. Naquele contexto, sem dúvida, os que ansiavam pelo serviço cristão, mereciam uma dose de elogio; eram dias difíceis. Os servos do Senhor que estavam em posição de liderança especialmente, tinham que enfrentar as perseguições, a luta pela defesa da verdade do evangelho que em muitos casos custava-lhes a vida. Não vivemos nas mesmas condições, mas a obra continua sendo nobre. Eis algumas razões para nos alegrarmos no chamamento de Deus:

  1. É um chamado feito pelo Soberano Senhor do Universo na pessoa Bendita de Jesus Cristo - “Assim como o Pai me enviou, eu vos envio” (Jo.20.21);

  2. É um chamado para representar o Salvador entre os homens - “Sereis minhas testemunhas” (At.1.8) ;

  3. É um chamado para conduzir vidas à maturidade cristã - “com vistas a edificação dos santos” (Ef.4.12).

Ah, quanta coisa poderíamos dizer da grandeza desse chamamento! Mas é mister lembrar também, que a nobreza da causa impõe ao vocacionado requisitos imprescindíveis. É disso que o apóstolo trata nos versículo seguintes: I Tm.3.2-7; bem como o apóstolo Pedro em sua carta: I Pe.5.2-4. Fica claro que àquele a quem Deus chama requer-se:

  1. Caráter irrepreensível

  2. Espiritualidade verdadeira

  3. Humilde dependência de Deus

  4. Temor no tratar com o rebanho que é “DE DEUS”

Não há o que temer diante das exigências, Deus mesmo é quem capacita os chamados para exercerem Sua excelente obra. Ele providencia os meios e as ferramentas para a tarefa; só precisamos atentar para as oportunidades diligentemente.

Cabe aqui um lembrete: atende para os sinais de sua vocação se são autênticos. 1

  • Sinais duvidosos: tradição familiar, influencia de terceiros, frustrações profissionais, atração pelo status eclesiástico.

  • Sinais autênticos: operação do Espírito Santo na consciência, produzindo um crescente amor pelos perdidos, capacitação com os dons essenciais ao ministério, capacidade para persistir diante dos obstáculos.

Guarde no seu coração esta certeza: a obra continua sendo excelente, os campos estão brancos e o Senhor da seara, Ele mesmo, chama os ceifeiros! Não retarde sua resposta ao chamado Divino; com coração quebrantado ante a grandeza do que chama, simplesmente diga: Eis-me aqui!

1BEZERRA, Durvalina. Ministério Cristão e Espiritualidade.

Voltar

Diariamente das 14:00h às 22:00h - Telefones: (21) 2621.8706 ou (21) 96500.8180 WhatsApp